Camada passiva

A denominada camada passiva é uma fina camada de óxido que se forma na superfície do aço inoxidável, quando este entra em contacto com o oxigénio. Juntamente com os átomos de oxigénio, os átomos de cromo do aço formam uma camada de óxido densa e inerte (por isso o nome “camada passiva”), que impede o avanço da oxidação e, com ela, o enferrujamento do aço. A manifestação e durabilidade da camada passiva dependem principalmente da composição da liga de aço.

Os aços inoxidáveis reagem com o oxigénio da mesma forma que os aços normais, formando uma camada de óxido. Nos aços normais, o oxigénio reage com os átomos de ferro presentes no aço, formando uma superfície porosa (ferrugem), que permite uma progressão desta reação. Este processo pode levar ao 'enferrujamento' completo da peça de trabalho.

No aço inoxidável, o oxigénio reage com os átomos de cromo presentes numa concentração relativamente mais elevada no aço na superfície da camada passiva.

Existem dois motivos para o surgimento de ferrugem em aços ’inoxidáveis’:

  • não houve formação de camada passiva ou
  • a camada passiva foi destruída

A não formação da camada passiva apenas pode ser evitada por uma cuidadosa limpeza. As superfícies processadas devem ser sempre limpas de todos os resíduos. Referimo-nos sobretudo aos resíduos de abrasivos. Por isso, os abrasivos adequados para o processamento de aço inoxidável são sempre livres (percentagem de massa < 0,01 por cento) de cloro, ferro e enxofre.

Ir para informações sobre lixamento